quarta-feira, 31 de outubro de 2012

Fechamento Outubro


Olá, amigos!

Este foi um mês ótimo! Apesar de trabalhar mais ( para aumentar os aportes no final do ano, bater a meta dos 30 mil e ainda passar a virada do ano em alto estilo!) por incrível que pareça tive mais tempo livre e pude me dedicar à leitura.. não só dos blogs mas também de bons livros.

Também consegui frequentar regularmente academia e a praia! E alguns eventos com amigos e namorado. Felicidade  pura!

Alegria , alegria!

A única queixa é que com a queda da Selic ( mais!) as taxas pagas pelo TD já não estão valendo a pena..( já estavam caindo, caindo..agora estão no chão!) e  terei que ver onde alocarei o aporte do mês de novembro...

Alguma sugestão?

Aguardo notícias sobre a intervenção do  banco central no banco BVA. Quem tinha investimentos lá, dê noticias por favor..
 
Para nossaaa alegria.. ( maisssss).. a rentabilidade foi boa.. apesar do aporte não ter sido tão bom..
 
 
 
 
 
E rumo à minha meta:
 
 
 

Disciplina sempre!

 

domingo, 21 de outubro de 2012

Intervenção Bancária

Olá, amigos..

Dessa vez dei sorte..estava pensando em abrir uma conta e investir na LCI do banco..
Deus ajuda quem cedo madruga ( e a Ostra tb!..rsrs)
Quem está dependendo do FGC, dê notícias, por favor. É sempre bom saber se podemos realmente contar com alguns recursos que temos..
Espero que isso nao se repita. Caso contrário, nós, investidores teremos mt dor de cabeça..
Abraços e bom final de semana a todos!
Disciplina sempre!

 

Mais uma intervenção bancária

Contando com o banco BVA, o Banco Central (BC) contabiliza, em 2012, a intervenção em três instituições bancárias, duas corretoras e duas cooperativas de crédito. Essa situação ocorre quando a fiscalização do BC constata problemas que podem colocar em risco a solvência da instituição, com potencial de gerar perdas para outros participantes do sistema financeiro.
Em 2011 o BC decretou a liquidação de um banco, quatro corretoras e distribuidoras de títulos e valores mobiliários, três cooperativas e sociedades de crédito e quatro administradoras de consórcio. No total, foram 12 instituições de grupos econômicos diferentes.
Nos anos anteriores, as intervenções ocorreram, principalmente, em empresas administradoras de consórcio. Foram quatro em 2004, seis em 2005, duas em 2006, uma em 2007, três em 2008, uma em 2009 e quatro em 2010. A última instituição bancária relevante a enfrentar problemas foi o Banco Santos, em 2004. O gráfico abaixo mostra as intervenções do BC, por tipo de instituição.

O ambiente de negócios para os bancos brasileiros vem piorando. Queda dos juros, redução das margens de lucros, aumento da competição, dificuldade de captação no mercado internacional e crescimento do nível de endividamento da população têm afetado, em maior ou menor escala, a atividade bancária.
No entanto, a percepção é que os problemas mais graves, e que podem afetar a solvência financeira, estão restritos a instituições bancárias específicas e que o sistema como um todo continua sólido. A capacidade de intervenção do BC, somada à atuação do Fundo Garantidor de Créditos (FGC), pode ser interpretada como um sinal de fortalecimento do mercado.
O FGC garante os depósitos de até R$ 70 mil feitos pelos poupadores nas instituições que quebraram. Além disso, fornece liquidez aos bancos com dificuldade de captação, dentro de determinadas condições.
No entanto, as grandes agências mundiais de classificação de riscos, como a Moody’s, por exemplo, já deram indicações de que estão atentas. Apesar de a intervenção no BVA ter repercussão pequena, os desdobramentos no mercado serão acompanhados.
Não é necessário agir com pânico. Nesse momento, basta conferir de que forma seu dinheiro está investido e confirmar a solidez da instituição com a qual você mantém relacionamento financeiro.



E mais:

"
O BVA chegou a tentar uma solução com o Fundo Garantidor de Créditos (FGC), mas as negociações não se concretizaram. O BC considerou os ajustes feitos pelo banco insuficientes para melhorar a situação de insolvência. Houve também problemas de liquidez com o aumento significativo na quantidade de saques, segundo a fonte.
O FGC vai cobrir cerca de 30% da captação do BVA, equivalentes à exigência de serem cobertos depósitos como CDBs de até R$ 70 mil e Depósitos a Prazo com Garantia Especial (DPGE) de até R$ 20 milhões.
O BVA detém 0,17% dos ativos do sistema financeiro e 0,24% dos depósitos. Não havia, garante a fonte, nenhuma interconectividade do banco com o restante do sistema financeiro, via depósitos interbancários. “Se não for encontrada nenhuma solução, o banco pode ser retirado do sistema sem trazer nenhum banco com ele”, diz a fonte.
A fonte também esclarece que, apesar de ter ocorrido pouco menos de um mês após a liquidação extrajudicial do Banco Cruzeiro do Sul, os dois bancos são “totalmente diferentes”. O BVA era especializado em crédito para empresas de médio porte, enquanto o Cruzeiro do Sul atuava no consignado"






 

quinta-feira, 4 de outubro de 2012

Investimentos em bancos "médios": o risco que você pode pagar pra ver?

Olá,

Como boa investidora em renda fixa e vendo o cenário político-econômico detonar as minhas esperanças de ficar rica correndo pouco risco, resolvi pesquisar sobre bancos médios e os investimentos que eles oferecem..

E com isso gostaria de compartillhar com vcs opiniões, idéias e informações sobre os mesmos..

Entrei no Site do banco BVA.. e vi que eles oferecem CDB/LCI/LCA e outros fundos de investimento.. mas  no site nada diz sobre tempo de aplicação, rentabilidade, liquidez..
Resolvi mandar um email e como resposta, obtive uma "grata surpresa" , uma moça me ligou e disse que tinha sido designada para esclarecer as minhas dúvidas sobre os investimentos que eles oferecem.. Enfim..depois de um tempo de conversa, descobri que investindo 10 mil na LCI, por exemplo, vc consegue 100% do CDI.. SIM! Nada mau visto que não há desconto de IR em LCI..( em tempos de selic 7,5% a gnt tem que apelar..rsrs)
Me interessei e fui pesquisar mais sobre o banco ..
Eis que me deparo com 2 matérias que me deixaram um pouco com pé atrás..

Uma esta neste link:

http://economia.ig.com.br/mercados/2012-08-28/bva-reune-funcionarios-para-comunicar-prejuizo.html

E um trecho da mesma diz:
"
O banco BVA deve anunciar nos próximos dias prejuízo acumulado de R$ 90 milhões no semestre, segundo funcionários da instituição. Na segunda-feira, os sócios do banco fizeram uma reunião com cerca de 400 empregados na qual informaram o resultado que deve constar no balanço do banco.
Segundo os diretores do BVA, o prejuízo é decorrente do aumento de provisões, exigido pelo Banco Central. Fontes ouvidas pela reportagem afirmam que o valor reservado para esse fim no banco supera os R$ 150 milhões no período - ou seja, sem as medidas prudenciais do BC, o BVA teria dado lucro. Os diretores disseram ao iG que já fizeram todo o provisionamento exigido para o primeiro semestre.
Na reunião com os funcionários, a primeira da história do banco, os diretores também anunciaram aumento de capital de R$ 300 milhões, o que elevaria o patrimônio líquido da instituição para R$ 1 bilhão. "O resultado será ruim nesse ano porque estamos segurando o ritmo dos empréstimos, dada a situação geral da economia", disse José Augusto Ferraz Santos, fundador do banco. Em 2008, o banco realizou movimento semelhante, segurando empréstimos desde o início da crise bancária internacional, mas depois sendo um dos primeiros a voltar a oferecer crédito no segmento de médias empresas. A direção diz que o aumento de capital permitirá ampliar os empréstimos diante da esperada retomada da economia neste semestre."

Opa.. Um pé atrás..
Logo em seguida, vi esta:

http://exame.abril.com.br/mercados/noticias/moody-s-rebaixa-ratings-do-banco-bva-por-atraso-em-balanco

Um trecho:
"A Moody’s rebaixou nesta quarta-feira o rating de força financeira de bancos (BFSR) do Banco BVA de E+ para E, segundo comunicado enviado ao mercado. A perspectiva da nota permanece como estável.
Além da nota BFSR, a agência de classificação de risco também rebaixou seus ratings de depósito de longo prazo em escala global de B2 para Caa1, e as notas de depósito na escala nacional brasileira para Caa1.br e BR-4, de longo e curto prazos, respectivamente. Todos os ratings de depósito e de dívida foram colocados em revisão para rebaixamento.
Segundo informou, o rebaixamento do banco incorpora a incerteza sobre seu desempenho financeiro dado o atraso da publicação dos relatórios financeiros semestrais. Os últimos relatórios financeiros publicados para o ano fiscal de 2011 reportaram um enfraquecimento da qualidade dos resultados, também afetados pelos altos custos operacionais e de crédito."

Resultado após leitura:

Muita dúvida.. e muito pé atrás.. Mesmo com FGC garantindo os tais 70 mil, imagina a dor de cabeça caso aconteça o mesmo que aconteceu com Cruzeiro do Sul..

Enfim..

Precisava dividir estas informações..rsrs e gostaria de saber se alguém tem experiência com este banco.. algo contra ou a favor.. ou opiniões..!

Até mais!!

E Disciplina sempre!